8M: A Ecologia Popular 100% com as Mulheres

Contra o mesmo vilão, as mulheres e a ecologia estão unidas. Na Luta por equidade, paridade e liberdade.

Contra o mesmo vilão, as mulheres e a ecologia estão unidas. Na Luta por equidade, paridade e liberdade.

A ideologia machista, patriarcal, despreza tanto a importância das atividades das mulheres quanto os serviços ambientais, subvalorizando ou não valorizando. São ainda piores quando demonstram aversão ao reconhecimento de identidades plurais e às interações culturais com a Natureza.

Todos os indicadores sociais brasileiros demonstram resultados racistas e sexistas. Mulheres representam a maioria entre trabalhadores com salários baixos, lideram no desemprego e sofrem com o aumento inaceitável da violência sexual e feminicídio, sofrem com o descaso na saúde e educação públicas. Por isso sofrem mais com as consequências das crises econômica, social e ambiental.

Com as feministas vamos construir uma sociedade mais ecológica, com apoio daqueles prejudicados pela distribuição desigual das oportunidades econômicas e também pela distribuição ecológica desigual.

A luta feminista dá coerência e unicidade para duas ações populares, o ativismo e a militância, lutando de forma solidária e ativa contra todas as formas de opressão do patriarcado, do neocolonialismo, do racismo estrutural, sexismo e da escravidão moderna. Encaram o debate político questionando a legitimidade das estruturas que mantém as mulheres subjugadas. Reivindicam o direito de todas as mulheres a ter acesso aos meios de subsistência sustentáveis, bem como à proteção social, incluindo cuidados de saúde de qualidade, educação, água e saneamento. Lutam pela liberdade de escolha e autonomia em relação à integridade física, incluindo direito reprodutivo, identidade e orientação sexual, assim como pelo direito de expressar sua espiritualidade e cultura.

As feministas podem contar com o ecologismo para reunir forças e obter justiça social. Junto com as mulheres queremos realizar uma sociedade não-violenta. O Ecologismo popular enfrenta as políticas capitalistas que incendeiam o planeta e os pilares racistas e patriarcais que mantêm o sistema. A ecologia popular quer combater o sexismo nas raízes da sociedade e abordar questões sociais de gênero, classe e raça.

Essa construção coletiva já mostra sua força ao lutar, não só pelos direitos, mas, por ACESSOS. Por isso juntos encontram caminhos, identificando o necessário para transformar direito em liberdades reais na prática.

A data de hoje é conquista da mulher socialista, por isso, vitoriosas as feministas, mulheres que lutam!!

#juizdefora #juizforando #8M #8deMarço #diainternacionaldamulher #jfmg #juizdeforamg

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Também

Se é Fake, não é News

Quando começou a medida de distanciamento social no Brasil por conta da pandemia do Covid-19, nós alertamos para o crescimento das Fake News.  Esse sistema

Home office: ecologia digital e a precarização do trabalho

Nesse novo normal que mais tarde ou menos tarde chegará, certo que o home office terá seu lugar. Muitas atividades resistentes à sua implantação foram obrigadas pela pandemia a se verem “incluídas” no mundo digital, com uma espantosa exigência por produtividade.

Conservação do Solo

Como biólogo tenho muita preocupação com a sustentabilidade do planeta, nesta foto aí estou trabalhando no plantio para recuperação da nascente do Rio Paraibuna, no município de Antônio Carlos.